O que é a Certificação Ambiental

SUSTENTABILIDADE E CERTIFICAÇÃO

O esgotamento dos recursos naturais impôs à humanidade procurar maneiras de preservar o que restou do meio ambiente sem gerar um colapso. Assim, a preocupação com o crescimento sustentável, que anteriormente se restringia às esferas econômicas e ambientais, passou a ser debatida em todas as atividades humanas, inclusive na construção civil, desde o projeto de arquitetura até a conclusão e ocupação da obra.

Projeto Sustentável é aquele que busca o máximo de sustentabilidade e eficiência em todo o ciclo de vida da edificação, ou seja, construção, uso e manutenção.

De modo geral, ele segue os princípios da construção tradicional, mas, no momento da execução, aplica conceitos que proporcionem o melhor resultado ambiental. Para isso, é preciso utilizar, desde a sua concepção, conceitos de sustentabilidade que proporcionem benefícios econômicos, saúde e bem-estar para as pessoas.

A sustentabilidade não é uma moda, e sim uma realidade com a crescente conscientização das pessoas a respeito do ambiente em que vivemos e de como nossa ação afeta o futuro.

A SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO CIVIL

A sustentabilidade na construção civil é um tema cada vez mais indispensável em um mundo com um novo normal. A grande quantidade de resíduos e entulhos gerados nos canteiros de obras, além das atividades constantes de extração de matéria-prima, representam um desafio na minimização dos impactos provocados pelas construções.

Abrangendo o consumo consciente de recursos naturais, o gerenciamento apropriado de resíduos e a utilização de tecnologias limpas, o conceito de sustentabilidade na construção civil, quando bem observado, traz uma série de vantagens: ambiental, econômica e social.

Construindo de maneira sustentável, poupam-se recursos naturais, e gera-se menos gastos com materiais, água e energia, proporcionando também melhora da qualidade de vida.

Para que o processo de construção sustentável atinja os objetivos do desenvolvimento sustentável, são recomendados a implementação de métodos e ações que levam a processos construtivos rigorosos e detalhados, seleção e utilização de materiais mais ecológicos e também avaliação e monitoramento contínuos.

Pode-se dizer que alguns dos princípios básicos a serem implementados para uma construção sustentável consistem em ações de redução e otimização do consumo de materiais e energia, redução dos resíduos gerados, redução do consumo de água, aproveitamento das condições naturais locais, preservação do ambiente natural e melhoria da qualidade do ambiente construído.

Assim, a construção sustentável deve utilizar processos de sustentabilidade em toda a sua concepção, construção e operação, gerando benefícios ambientais, econômicos e à saúde. Construindo com sustentabilidade, o impacto gerado para a natureza e as comunidades ao seu redor é mínimo, e a economia de recursos é notória.

Mais do que dar atenção especial aos aspectos sociais e ambientais que envolvem a obra, ser sustentável é também garantir a sua viabilidade econômica. Fazer com que os materiais sejam reutilizados, definir alternativas para a exploração dos recursos naturais e encontrar novas formas de geração de energia são atitudes que diminuem os impactos da construção no ambiente. Além disso, desempenham um papel fundamental para tornar os processos economicamente viáveis.

Cada vez mais comuns, eficientes e baratas, as tecnologias sustentáveis proporcionam uma grande influência positiva sobre o meio ambiente. Além disso, elas atendem a exigências comuns da nossa sociedade, relacionadas aos cuidados com as pessoas e com a natureza.

Dessa forma, o projeto sustentável mostra-se a melhor opção para economia a longo prazo, com menos manutenções e contas mais baratas.

Atualmente o conceito de construção sustentável vem sendo aplicado com o objetivo de minimizar os impactos ambientais atuando sobre esses conceitos:

  • Projetos inteligentes, usando luz natural e aproveitando o terreno como elemento da construção;
  • Redução da poluição, através do gerenciamento dos resíduos da construção por segregação e reciclagem para outros usos;
  • Eficiência energética, construir obras que possam ser mantidas de forma econômica;
  • Materiais ecológicos, feitos a partir de resíduos reciclados da obra ou com outros produtos reciclados, como o caso dos blocos feitos de concreto com adição de pet, por exemplo; e
  • Aproveitamento de água, usando soluções para utilização de água da chuva e de sistemas de refrigeração.

Para o mercado, os benefícios que podem ser conquistados são:

  • Mais disponibilidade de serviços e produtos sustentáveis por preços mais rentáveis;
  • Possibilidade de ampliação do mercado para serviços e produtos sustentáveis, podendo beneficiar empresas locais;
  • Ampliação das oportunidades de mercado pela diferenciação de produtos e serviços;
  • Diminuição dos custos com transporte, por exemplo: combustível, congestionamentos rodoviários e manutenção de veículos;
  • Mais apoio e incentivo à inovação, porque os produtos preferidos são aqueles mais sustentáveis;
  • Mais incentivo à indústria para desenvolver a capacidade de trabalhar a partir dos preceitos de uma economia verde e limpa.

Já para a comunidade, as vantagens que podem ser destacadas são:

  • Diminuição dos impactos ao meio ambiente e sociais devido às opções de compra;
  • Diminuição da quantidade de resíduos para os aterros, além da economia de água e menor emissão de gases de efeito estufa;
  • Redução da poluição da água e do ar;
  • Redução do consumo de recursos processados e naturais;
  • Promoção da segurança, saúde e igualdade;
  • Influência às decisões de aquisição para apoiar aspectos de diversidade e igualdade;
  • Promoção do desenvolvimento de infraestrutura física e comunidades locais;
  • Fortalece a coesão e a inclusão social pela criação de oportunidades de negócio e emprego para grupos marginalizados ou desfavorecidos