Veterinários salvam cinco filhotes de esquilo presos um ao outro em ‘nó de plástico’

Esquilos com as caudas enroladas
Esquilos usam as caudas para manterem o equilíbrio e para manterem o corpo aquecido

Os pequenos irmãos se enrolaram com tiras de plástico e grama que sua mãe usou para fazer o ninho.

Eles foram encontrados na semana passada e levados para o Centro de Reabilitação de Vida Selvagem da ONG Wisconsin Humane Society, cujos funcionários trabalharam para salvar suas caudas e, possivelmente, suas vidas.

Eles foram anestesiados e soltos com tesouras. Agora, estão sendo observados e devem ser devolvidos à natureza em breve, disse a ONG à BBC News Brasil.

“Eles estão bastante ativos e comeram tudo o que oferecemos, incluindo nozes, sementes e frutas. Estamos examinando suas caudas por causa do risco de necrose, mas, neste momento, esperamos que eles se recuperem completamente”, disse a vice-presidente de Comunicações da organização, Angela Speed.

Esquilo anestesiado
Filhotes foram anestesiados para que funcionários conseguissem separar o nó de suas caudas usando uma tesoura

 

Caudas enroladas de esquilos
Animais ficaram presos em pedaços e grama e tiras de plásticos usados por sua mãe para fazer o ninho

Cuidados para evitar necrose das caudas

Em um post em sua página oficial no Facebook, a ONG disse que os esquilos precisam de suas caudas para manterem o equilíbrio e se manterem aquecidos. Por isso, é importante preservá-las o máximo possível.

“Dá para imaginar o quão bangunçados e enrolados estavam essas ‘bolinhas de energia’, então, nosso primeiro passo foi anestesiar os cinco ao mesmo tempo. Em seguida, começamos a trabalhar para desfazer o ‘nó górdio’ (expressão que significa problema aparentemente sem solução) de caudas e materiais usados no ninho”, diz a publicação.

Esquilo em recuperação
Três dias depois de serem resgatados, esquilos estão ativos e se alimentando bem, de acordo com Centro de Reabilitação

“Era impossível dizer de quem era cada cauda, e começamos a ficar muito preocupados porque todos eles tinham sofrido graus variados de danos nos tecidos de suas caudas, causados pelo bloqueio da circulação de sangue.”

A separação das caudas durou cerca de 20 minutos.

Os cinco filhotes estão se recuperando no Centro, com o apoio de uma campanha de financiamento online para pagar por seus cuidados.

Fonte: BBC


Créditos: Ambiente Brasil