Tsunami na Indonésia: imagens de satélite mostram o que restou de vulcão que causou tragédia

Imagem do vulcão Anak Krakatau quase duas semanas após o colapso que gerou o tsunami (02/01/2019) — Foto: Planet Labs, Inc. via BBC
Imagem do vulcão Anak Krakatau quase duas semanas após o colapso que gerou o tsunami (02/01/2019) — Foto: Planet Labs, Inc. via BBC

Imagens captadas por satélites mostram o que restou do vulcão Anak Krakatau, que entrou em colapso no dia 22 de dezembro de 2018, na Indonésia, gerando o tsunami que matou pelo menos 430 pessoas e deixou milhares de desabrigados.

As más condições climáticas sobre o Estreito de Sunda, que liga o Mar de Java ao Oceano Índico, haviam frustrado o trabalho dos vários satélites na órbita do planeta em busca de imagens ópticas.

Mas a equipe da Planet Labs, empresa americana que desenvolve e opera minissatélites de observação da Terra, conseguiu encontrar janelas nas nuvens.

Imagens capturadas por suas plataformas Dove e SkySat revelam a dimensão do colapso do vulcão, o que permite observar como o formato da ilha mudou após o desastre natural.

O que era antes uma cratera no topo de uma estrutura de 340 metros de altura se abriu completamente formando uma pequena baía.

Minissatélite Dove registra imagens do vulcão uma semana após o desastre (30/12/2018) — Foto: Planet Labs, Inc. via BBC
Minissatélite Dove registra imagens do vulcão uma semana após o desastre (30/12/2018) — Foto: Planet Labs, Inc. via BBC

A agência de desastres da Indonésia diz que o vulcão Anak Krakatau perdeu mais de dois terços do volume (150-170 milhões de metros cúbicos). Acredita-se que grande parte tenha deslizado para o mar no colossal desmoronamento de terra que deu origem ao tsunami.

A Planet Labs, com sede em San Francisco, opera uma das maiores constelações de satélites do mundo.

A agência de desastres da Indonésia diz que o vulcão Anak Krakatau perdeu mais de dois terços do volume (150-170 milhões de metros cúbicos). Acredita-se que grande parte tenha deslizado para o mar no colossal desmoronamento de terra que deu origem ao tsunami.

A Planet Labs, com sede em San Francisco, opera uma das maiores constelações de satélites do mundo.

Imagem do vulcão Anak Krakatau antes do colapso, capturada pelo minissatélite Dove (17/12/2018) — Foto: Planet Labs, Inc. via BBC
Imagem do vulcão Anak Krakatau antes do colapso, capturada pelo minissatélite Dove (17/12/2018) — Foto: Planet Labs, Inc. via BBC

Fonte: BBC


Créditos: Ambiente Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *