Semanas de Inovação Suécia-Brasil discute a colaboração em projetos de Bioeconomia

Para reforçar a parceria estratégica de longo prazo entre a Suécia e o Brasil nas áreas de ciência, tecnologia e inovação, o evento Workshop de colaboração Suécia-Brasil em Bioeconomia” reuniu em Brasília (DF) pesquisadores, empresas de agronegócio e instituições de fomento para discutirem a cooperação para o desenvolvimento de projetos ambientais e de eficiência energética.

O encontro contou com a presença de representantes do Ministério da Indústria e Comércio Exterior, especialistas e pesquisadores de instituições de ensino suecas. Também estiveram presentes o Diretor de Ciência e Inovação da Embaixada da Suécia , Jacob Paulsen, pesquisadores  da Embrapa Agroenergia e Florestas, especialistas da Vinnova – agência governamental sueca que administra o financiamento estatal para pesquisa e desenvolvimento – e do Formas – Conselho Científico da Suécia para Desenvolvimento Sustentável – além de pesquisadores de universidades suecas como Lund e SLU (Swedish University of Agricultural Sciences).

Vislumbrando uma parceria, o Chefe Adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Agroenergia, João Ricardo Almeida, reforça que são grandes as possibilidades de desenvolvimento de ativos tecnológicos para diferentes setores industriais a partir da biomassa, que também compõem a base da economia industrial da Suécia.

Durante todo o dia, os convidados participaram de palestras e workshops voltados para a discussão da implementação de parcerias que beneficiam  a valorização da Lignina, a melhor utilização de madeirapara melhoramento energético, aumento de valor agregado aos resíduos e redução dos impactos ambientais.

 “Com as apresentações, percebemos que temos muitas áreas em comum para realização de pesquisas em parceria com a Embrapa. Esse aspecto é importante para criarmos uma base de colaboração em longo prazo, especialmente, envolvendo a indústria, a partir de projetos com foco em inovação e pesquisa”, destaca Jacob Paulsen, Diretor de Ciência e Inovação da Embaixada da Suécia no Brasil.

Para Paulsen, a Bioecononia é uma das áreas prioritárias. “Assim como o Brasil, a Suécia já possui pesquisas de ponta neste setor. Dessa forma podemos combinar e aproximar o melhor da ciência entre os dois países”, acrescenta.

A diretora do Ministério da Indústria e Inovação da Suécia, Johanna Carnö, reforçou que os trabalhos de pesquisa apresentados mostraram temas afins para formalizar possíveis parcerias.

Ela destacou que a interação presencial entre os cientistas de ambos os países  é um ponto importante para fortalecer a essa cooperação. “Estamos buscando ações de inovação e vimos que a Embrapa é uma instituição de pesquisa que pode contribuir muito com a experiência de seu corpo técnico e estrutura”, complementa a Diretora.

“Acredito que os objetivos do evento foram alcançados. Vimos que há interesse mútuo para desenvolvimento de trabalhos em parceria, especialmente para agregação de valor a biomassa e seus resíduos com a produção de insumos industriais. Demos o primeiro passo com o levantamento de oportunidades e desafios comuns, e com certeza iremos avançar com as negociações das coparticipações”, acrescenta Almeida.

“Estes encontros entre as empresas e especialistas do meio acadêmico reforçam nossa preocupação em criar projetos que gerem um desenvolvimento sustentável para todas as partes envolvidas. Nós acreditamos que esta colaboração entre a Suécia e o Brasil pode gerar ótimos resultados no futuro”, afirma Niklas Johansson, Vice-ministro da Indústria e Tecnologia da Suécia sobre a realização do evento durante as Semanas de Inovação Suécia-Brasil.

Plataforma de cooperação

Outro tema abordado foi à criação de uma plataforma de cooperação para convidar outras empresas e instituições para conversas sobre o tema, ajudando na construção de um projeto conjunto. O objetivo é elaborar uma proposta que deverá ser apresentada no próximo encontro do Comitê Executivo de Inovação, que será realizado no início de 2019.

A partir desta proposta das empresas e instituições serão avaliados os próximos passos de acordo com o plano de aplicação e investimento das agências de fomento, como a Vinnova. “Há um longo caminho a percorrer, mas estamos otimistas e a longo prazo teremos um projeto concreto e bons resultados para a economia de maneira sustentável”, comenta Johansson.

O “Workshop de colaboração Suécia-Brasil em Bioeconomia” faz parte do calendário de atividades da 7° Edição das Semanas de Inovação Suécia Brasil. De 19 a 30 de novembro, a Embaixada da Suécia, em parceria com entidades, instituições e empresas nacionais, promoverá encontros de profissionais, acadêmicos e universitários em eventos focados em temas setoriais-chave, como aeronáutica, cidades sustentáveis, silvicultura, estudos na Suécia e mineração, entre outros.

O comitê sueco, liderado pelo vice-ministro Nicklas Johansson, percorrerá diferentes cidades brasileiras para reforçar e gerar parcerias estratégicas, a exemplo do projeto Gripen, firmado em 2014, quando o país decidiu adquirir o sistema sueco de caças de combate Gripen NG.

O evento é organizado pelo Team Sweden Brazil: Embaixada da Suécia, Conselho Sueco de Investimento e Negócios (Business Sweden), Câmara de Comércio Sueco-Brasileira (Swedcham) e os Consulados Honorários da Suécia, principalmente os de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Fonte: Daniela Garcia Collares – Embrapa


Créditos: Ambiente Brasil