Saiba mais sobre as propostas de Jair Bolsonaro e Fernando Haddad para o meio ambiente

Os dois candidatos à Presidência da República que disputarão o segundo turno da eleição, Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), têm propostas muito diferentes para o meio ambiente.

Bolsonaro disse que acabará com o Ministério do Meio Ambiente e o incorporará à pasta da Agricultura. Ele pretende ainda facilitar as licenças ambientais e limitar as multas sobre propriedades privadas. O candidato também disse que pode reavaliar a adesão do Brasil ao Acordo de Paris em nome da soberania nacional.

Já Fernando Haddad assumiu uma postura de controle do desmatamento, com proposta de zerá-lo até 2022 e de cobrança de imposto sobre especulação da terra. O candidato também se propõe a investir parte das reservas cambiais do governo em fontes de energias alternativas e oferecer isenção fiscal para investimentos verdes.

Ambos convergem em um aspecto: diversificar a matriz energética brasileira e incorporar energias renováveis, como solar e eólica.

Veja, abaixo, as propostas dos candidatos apresentadas nos programas de governo em declarações públicas.

Jair Bolsonaro (PSL)

Bolsonaro durante ato de campanha no Rio de Janeiro, em 11 de outubro — Foto: REUTERS/Ricardo Moraes
Bolsonaro durante ato de campanha no Rio de Janeiro, em 11 de outubro — Foto: REUTERS/Ricardo Moraes

Durante um evento com empresários no Rio de Janeiro no começo de setembro, Bolsonaro disse que poderia retirar o Brasil do Acordo de Paris, assinado por 195 países em 2015, segundo o qual os países devem manter o aquecimento global abaixo de 2ºC, buscando limitá-lo a 1,5ºC. Segundo ele, as premissas previstas afetam a soberania nacional e, para atender às exigências do acordo, o Brasil teria que “pagar um preço caro”.


Créditos: Ambiente Brasil