Pessoas que trabalham pela conservação usam casaco especial para cuidar de filhote de zebra

O que começou como uma tragédia acabou se tornando uma história de sobrevivência e cuidado. Um filhote de zebra com poucos dias de vida sobreviveu a um ataque de leões que o deixou órfão. Para a sobrevivência do animal, foi importante a participação de um rebanho de cabras.

O ocorrido foi compartilhado no Facebook pelo Sheldrick Wildlife Trust (SWT). A publicação conta com mais de 12 mil interações e 1,5 mil compartilhamentos.

A SWT é uma organização sem fins lucrativos que atua no Leste da África, onde é pioneira e uma das mais antigas organizações de conservação. Com atuação pela proteção e preservação da vida silvestre e seu habitat natural no Quênia a mais de 40 anos, a SWT é conhecida pelo projeto que cuida de órfãos.

A história de Diria

Uma perseguição assustou os pastores com rebanho de uma fazenda que faz fronteira com Tsavo East. Uma zebra correu dos arbustos com seu filhote perseguida por um leão.  Depois que o leão matou a mãe, o filhote correu em direção ao rebanho em busca de abrigo.

Os pastores deixaram que o filhote andasse com eles e deram leite de cabra antes de levá-lo para os guardas na área.  A zebra foi então levada à unidade de reintegração do SWT. O filhote recebeu o nome de Diria, como o rancho onde foi encontrado.

A chegada da zebra ocorreu no final de fevereiro. A partir de então, providenciaram companhia e alimento como teria sido provido pela mão dele. Os cuidadores até usaram uma veste listrada especial para atender o filhote de zebra.

Conexão com a mãe

Esse uniforme diferente foi adotado porque os potros reconhecem a mãe pelo padrão das listras. A zebra, em geral, se afasta do grupo com seu filhote até que ele consiga fazer essa identificação visual, olfativa e sonora. O uso de uma veste especial para cuidar do potro órfão tem como objetivo que Diria possa fazer esse reconhecimento como previsto na natureza, sem que se apegue a alguém em particular.

Assim, a equipe pode se revezar para propiciar cuidados 24 horas por dia. A organização fala que já ter utilizou essa técnica ao longo dos anos com outras zebras regatadas e que agora vivem na natureza.

A SWT diz que Diria é carinhoso e gosta muito dos cuidadores, mas em primeiro lugar gosta do leite. Ele recebe cuidado de profissionais experientes que, além da alimentação, garantem ao potro um local quente para dormir à noite e durante o dia uma presença protetora de mãe. [Bored Panda, Sheldrick Wildlife Trust, Facebook]

Fonte: Hypescience


Créditos: Ambiente Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *