Passagem secreta é encontrada abaixo de pirâmide no México

Pirâmide da Lua abriga segredos que ainda não foram totalmente desvendados (Foto: Wikkimedia / Andrew McMillan)
PIRÂMIDE DA LUA ABRIGA SEGREDOS QUE AINDA NÃO FORAM TOTALMENTE DESVENDADOS (FOTO: WIKKIMEDIA / ANDREW MCMILLAN)

Localizada na cidade de Teotihuacan, no México e com 45 metros de altura, a Pirâmide da Lua esconde um grande segredo. Após uma dúzia de investigações nos últimos 300 anos, arqueólogos do Instituto Nacional de Antropologia e História do México (INAH) descobriram um túnel escondido de 15 metros que percorrem os interiores da estrutura.

Os especialistas acreditam que a cavidade misteriosa era destinada a funerais e rituais de morte, quase que como uma passagem “para o outro mundo”. O trabalho contou com arqueólogos do INAH e geógrafos da Universidade Autônoma Nacional do México.

No ano passado, a equipe utilizou uma técnica de resistência elétrica para que pudesse ser possível avaliar as propriedades geológicas da terra, sem danificar o solo. É a primeira vez na história que pesquisadores encontram uma câmara secreta!

Durante a década de 1980, arqueólogos encontraram esqueletos de indivíduos com algumas deformações, além de diversos objetos na tonalidade verde como colares e mosaicos de figuras humanas, explicou em nota Verónica Ortega, diretora do projeto integral de conservação. Ortega conta que existem duas entradas, mas que é preciso uma radiografia completa para saber qual é a certa.

Astecas (Foto: Wikimedia)
PINTURA QUE REPRESENTA BATALHA ENTRE ESPANHÓIS E ASTECAS (FOTO: WIKIMEDIA)

A Pirâmide da Lua é a segunda maior da região de Teotihuacan, superada em tamanho apenas pela Pirâmide do Sol. Durante seis anos (entre 1998 e 2004), arqueólogos descobriram quase 200 vestígios de animais embaixo de pirâmides.

Considerada uma das civilizações mais organizadas que foram constituídas na América antes do período das Grandes Navegações, no século 16, os astecas dominaram territórios que atualmente correspondem ao México. Eles foram subjulgados pelas tropas espanholas após a conquista da capital Tenochtitlán  em 1521.

Fonte: Revista Galileu


Créditos: Ambiente Brasil