Mundo ‘enfrenta aumento de 80% de calorias até o final do século’

Os países pobres correm o risco das consequências de uma maior desigualdade se exigirmos mais calorias no futuro. Fonte: L.DEPENBUSCH

A quantidade de comida necessária para alimentar a população mundial até o final do século pode aumentar em quase 80%, sugeriu um estudo.

Pesquisadores da Alemanha disseram que uma tendência de aumento do Índice de Massa Corporal (IMC) está resultando em indivíduos que necessitam de mais calorias.

Os autores alertam que o não atendimento da necessidade de mais calorias pode levar a uma maior desigualdade global.

Os resultados foram publicados na revista Plos One.

O estudo, realizado por uma equipe da Universidade de Göttingen, calculou que 60% do aumento de calorias seria resultado do número crescente de pessoas no mundo.

De acordo com as perspectivas da população mundial da ONU, estima-se que a população global suba de quase sete bilhões em 2010 para quase 11 bilhões em 2100.

No entanto, mais de 18% do aumento das calorias a partir dos níveis de 2010 viriam de um aumento projetado da altura e peso da população global.

Tenha uma banana – ou duas

“O aumento na energia média diária requerida aumenta em 253 kcal por pessoa entre 2010 e 2100 em nossas estimativas, assumindo um IMC e uma altura crescentes”, explicou o co-autor Lutz Depenbusch do World Vegetable Center.

Ele disse à BBC News: “Em uma escala global, calculamos que o efeito do IMC e dos aumentos de altura em nosso modelo levaria a requisitos adicionais de calorias que correspondam aos requisitos de 2010 da Índia e da Nigéria combinados”.

Em termos de qual alimento equivaleria a um aumento de 253 calorias na dieta diária de alguém, Depenbusch disse que mais duas bananas grandes ou uma porção de batata frita estariam no cardápio.

Depenbusch e seu colega, Stephan Klasen, da Universidade de Göttingen, na Alemanha, disseram que sua modelagem sugeria que os países da região subsaariana seriam mais afetados por esse aumento nos futuros requisitos globais de calorias.

Eles explicaram que a região já estava testemunhando um forte aumento na necessidade de calorias, pois estava passando por uma taxa de rápido crescimento populacional.

Os pesquisadores alertaram que um fracasso da política global de alimentos para acomodar esse aumento na demanda por mais energia, poderia agravar a desigualdade econômica e alimentar.

Eles alertaram que uma demanda crescente por alimentos levaria a um aumento nos preços dos alimentos. Enquanto as nações ricas seriam capazes de absorver os aumentos, as nações mais pobres lutariam, levando a mais desnutrição.

Fonte: BBC News / Mark Kinver
Tradução: Redação Ambientebrasil / Maria Beatriz Ayello Leite
Para ler a reportagem original em inglês acesse:
https://www.bbc.com/news/science-environment-50856049


Créditos: Ambiente Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *