Maior colônia de polvos do mundo é encontrada nos Estados Unidos

Maior colônia de polvos do mundo conta com uma espécie rara: a Muusoctopus robustus (Foto: Reprodução / YouTube EVNautilus)
MAIOR COLÔNIA DE POLVOS DO MUNDO CONTA COM UMA ESPÉCIE RARA: A MUUSOCTOPUS ROBUSTUS (FOTO: REPRODUÇÃO / YOUTUBE EVNAUTILUS)

Pesquisadores a bordo do Navio de Exploração Natilus, uma expedição científica, capturaram imagens de uma colônia de mil polvos raros no fundo do mar. O grande “berçário” estava localizado no monte submarino Davidson Seamount, que fica próximo à costa de Monterey Bay National Marine Sanctuary, nos Estados Unidos.

O Seamount é uma montanha de mais de 2 mil metros de profundidade que tem uma estrutura massiva tem quase 42 quilômetros de comprimento e 12 quilômetros de largura. Ainda assim, a profundidade da cúpula dificultou o estudo do habitat do fundo do mar.

De acordo com a Natilus, a equipe já havia mapeado a extensão do Seamount antes mesmo do navio percorrer as águas há 12 anos atrás. No entanto, a equipe resolveu focar em uma região de águas profundas de recife balsático, no lado sudeste do monte que ainda era desconhecida.

Após 35 horas de exploração, foi encontrado uma colônia de Muusoctopus robustus, uma espécie de polvo marinho roxo. “Descemos o flanco leste dessa pequena colina e é aí que – boom – começamos a ver milhares de polvos”, disse o chefe de pesquisa da Natilus, Chad King.

Grande parte das fêmeas da colônia tinham suas extremidades invertidas e debruçavam-se sobre seus ovos, como se seu instinto materno a alertasse para protegê-los.

King ressalta que nunca na história alguém encontrou uma colônia com tantos polvos. “Eu nunca vi nada parecido com isso durante todo o meu tempo de carreira e essa é mais uma razão pela qual devemos proteger essa área.”

Essa é apenas a segunda colônia de polvos do gênero Muusoctopus que foi descoberta até hoje. A primeira foi encontrada em 2013, no Dorado Outcrop submersa nas águas do Oceano Pacífico que banham a Costa Rica. Mas ainda assim, a colônia consistia em apenas 100 polvos.

Fonte: Revista Galileu


Créditos: Ambiente Brasil