Maior ave que já habitou a Terra era cega e noturna, aponta pesquisa

Ave-elefante Vorombe titan, a maior do mundo (Foto: Jaime Chirinos )
AVE-ELEFANTE VOROMBE TITAN, A MAIOR DO MUNDO (FOTO: JAIME CHIRINOS)

Classificada como o maior pássaro que já existiu na Terra – extinto há 300 anos–, a ave-elefante (Vorombe titan) pode ter sido um animal noturno, assim como os morcegos. Além disso, o bicho não exergava, conforme apontou um novo estudo publicado na revista Proceedings of the Royal Society B.

Por meio de análises de DNA de fósseis, cientistas sugerem que a ave-elefante é parente do quivi (ave do gênero Apteryx), que tem hábitos noturnos. Eles também examinaram dois crânios de aves-elefantes com um scanner de tomografia computadorizada. Os resultados revelaram que os lóbulos ópticos – que processam o que o olho vê – eram quase inexistentes.

Segundo a pesquisa, isso significa que o animal mal conseguia enxergar. Os bulbos olfatórios e os centros olfativos do cérebro eram muito maiores do que o esperado.

Os pequenos lóbulos ópticos e os centros de olfato lembraram a anatomia do cérebro do quivi e do kakapo (também conhecido como caçapo ou papagaio-mocho), espécie de papagaio noturno da Nova Zelândia. Com isso, os pesquisadores indicam que a ave-elefante só ficava ativa à noite.

Se for verdade, tal comportamento pode ajudar a explicar como a espécie gigante foi capaz de sobreviver tanto tempo depois que os humanos invadiram a ilha de Madagascar. A ave-elefante podia chegar até 3,5 metros de altura e pesar meia tonelada.

Fonte: Revista Galileu


Créditos: Ambiente Brasil