Ibama apreende 4,2 toneladas de pescado durante defeso da lagosta no litoral nordestino

Foto: Ibama
Foto: Ibama

O Ibama apreendeu 4,2 toneladas de pescado em operação de monitoramento do defeso da lagosta realizada desde o início do mês em cinco estados do litoral nordestino: Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco.

Além de espécies como lagosta, polvo, pargo, guaiamum e atum, os agentes ambientais recolheram 520 tonéis de ferro conhecidos como marambaia, 7 tarrafas, 1 espinhel de fundo e 3 compressores para mergulho.

O uso de marambaias, instrumentos de captura que simulam abrigos, é vedado pela Instrução Normativa (IN) do Ibama n° 170/2008. Norma anterior (IN n° 138/2006) proíbe a pesca de lagosta por mergulho e com rede de espera do tipo caçoeira, que também foram encontradas e apreendidas durante as ações de fiscalização.

Foto: Ibama

“O uso de redes caçoeiras, marambaias e compressores para mergulho implica em um esforço elevado de pesca das lagostas vermelha e cabo-verde, cujas populações vêm reduzindo sistematicamente”, disse o analista ambiental que coordenou a operação, Igor Silva.

A identificação de infrações como uso de petrechos proibidos, comercialização ou estocagem de pecado sem documento de origem e venda de espécies capturadas por meios ilegais resultou na aplicação de 33 multas, que totalizam R$ 385,3 mil.

Em duas empresas de pesca do Rio Grande do Norte foram apreendidas 3,1 toneladas de Agulhão Negro (Makaira nigricans), espécie em perigo de extinção (EN) listada na Portaria do Ministério do Meio Ambiente (MMA) n° 445/2014.

Todo o pescado apreendido será doado a instituições assistenciais sem fins lucrativos.

Fonte: IBAMA

 


Créditos: Ambiente Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *