Furacão Michael ganha força rumo à Flórida

Moradores da Flórida se preparam para chegada de furacão
Moradores da Flórida se preparam para chegada de furacão

O furacão Michael ganhou força nesta terça-feira (09/10) e chegou à categoria 4 na escala Saffir-Simpson, cujo máximo é 5, poucas horas antes de alcançar o litoral do estado americano da Flórida, informou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC).

Michael tem ventos constantes de até 220 quilômetros por hora enquanto segue para o norte. Em seu mais recente boletim, o NHC advertiu que espera que o fenômeno se fortaleça ainda mais antes de tocar solo nesta quarta-feira na região do Panhandle ou do Big Bend. Depois, já enfraquecido, ele cruzará o sudeste do país.

Os meteorologistas alertam que Michael, que se desloca para o norte a 19 km/h, gera fortes ventos, intensas chuvas e um perigoso aumento do nível do mar, que provocará ondas de até 4 metros nas próximas horas em algumas partes do litoral da Flórida.

Autoridades já emitiram ordens de evacuação para cerca de 500 mil pessoas residentes em zonas de risco no estado, onde moradores e turistas de ao menos 20 condados deixavam nesta terça-feira áreas ao longo de uma faixa de 322 quilômetros de costa.

“Michael é um evento sem precedentes e não pode ser comparado a nenhuma de nossas ocorrências anteriores. Não arrisque sua vida, saia agora se você recebeu ordens de fazê-lo”, disse o escritório do Serviço Nacional Meteorológico da Flórida.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou nesta terça-feira estado de emergência na Flórida devido à chegada do furacão. A declaração permite que o Departamento de Segurança Nacional e a Agência Federal para a Gestão de Emergência (FEMA) coordenem todos os esforços em casos de desastre e disponibiliza fundos federais para responder à tragédia.

Além de ventanias e chuvas, Michael pode provocar tornados no noroeste e em todo o norte do estado, assim como no sul da Geórgia, cujo governador, Nathan Deal, declarou estado de emergência em 92 condados. Cerca de 2.500 membros da Guarda Nacional foram ativados para auxiliar na retirada de pessoas e preparação para a tempestade.

Os estados do Alabama, Virgínia e as Carolinas do Norte e do Sul, que ainda se recuperam do impacto causado no mês passado pelo furacão Florence, também devem sofrer com chuvas torrenciais. O volume de chuva pode chegar a até 30 centímetros em algumas áreas.

Na América Central, o furacão já provocou 13 mortes em El Salvador, Honduras e Nicarágua, por quedas de telhados e enchentes, além de destruição extensa em Cuba.

O governador da Flórida, Rick Scott, disse que a expectativa é que Michael seja a “tempestade mais mortal e destrutiva” a atingir a região em décadas.

Fonte: Deutsche Welle


Créditos: Ambiente Brasil