Fundo de População da ONU e IBGE ajudam países africanos a implantar coleta eletrônica de estatísticas

Representantes do Senegal e de Cabo Verde reuniram-se nesta semana, no Rio de Janeiro (RJ), com equipes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), a fim de avaliar o andamento de um projeto conjunto sobre a realização de censos eletrônicos na África.

Iniciativa visa capacitar instituições de coleta de dados dos dois países africanos, com base na experiência bem-sucedida do IBGE com o uso de tecnologia em suas pesquisas.

Camponesa no Senegal. Foto: FAO
Camponesa no Senegal. Foto: FAO

Representantes do Senegal e de Cabo Verde reuniram-se nesta semana, no Rio de Janeiro (RJ), com equipes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), a fim de avaliar o andamento de um projeto conjunto sobre a realização de censos eletrônicos na África. Iniciativa visa capacitar instituições de coleta de dados dos dois países africanos, com base na experiência bem-sucedida do IBGE com o uso de tecnologia em suas pesquisas.

De 7 a 9 de maio, profissionais senegaleses e cabo-verdianos discutiram um programa de trabalho para 2019-2020 com funcionários do IBGE, da agência da ONU e do Ministério das Relações Exteriores do Brasil. O Itamaraty foi representado pela Agência Brasileira de Cooperação (ABC).

O objetivo do projeto é consolidar e aprimorar dois centros de referência em coleta eletrônica de estatísticas, no Senegal e em Cabo Verde. Com isso, os parceiros esperam promover o intercâmbio técnico entre esses países e outras nações do continente africano, ampliando o uso de novas tecnologias em pesquisas demográficas na África.

“É importante lembrar que estamos falando de um salto qualitativo muito grande na produção estatística destes países por meio da coleta eletrônica. Este fortalecimento das capacidades estatísticas é parte fundamental para o desenvolvimento de políticas públicas eficientes e efetivas”, explica o assessor para População e Desenvolvimento do UNFPA, Vinícius Monteiro.

Segundo o especialista, o programa já começou a apresentar resultados. “Os centros de referência vêm sendo reconhecidos e acionados para apoiar países no continente que desejam realizar seus censos com coleta eletrônica de dados”, ressalta o profissional do organismo das Nações Unidas.

De acordo com Monteiro, a reunião na capital fluminense foi fundamental “para reorientar as ações, alinhar as estratégias e garantir os recursos orçamentários para que os centros de referência possam repassar a outros países este conhecimento que foi compartilhado pelo Brasil”.

Fonte: ONU


Créditos: Ambiente Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *