Fotógrafo registra momento em que baleia-jubarte quase engole leão-marinho

Baleia engole leão marinho

O biólogo marinho e fotógrafo americano Chase Dekker registrou o exato momento que uma baleia-jubarte quase engole um leão-marinho. Ele acredita ser a primeira vez que um evento desses é fotografado.

Dekker fez o registro quando observava baleias em um barco na Baía de Monterey, na Califórnia, no dia 22 de julho.

Foi quando avistou grupos de baleias e leões marinhos. “Não era um grupo grande. Apenas três jubartes e cerca de 200 leões-marinhos”, contou o biólogo ao programa de rádio Newsbeat, da BBC, dizendo que já viu grupos de até 100 baleias com 3 mil leões- marinhos.

Os animais se alimentavam de um cardume de anchovas que quando uma das baleias apareceu com algo maior na boca.

“Estávamos vendo eles se alimentarem por um bom tempo e então, eventualmente, vi o evento – que chamo de evento único na vida – e ainda não consigo acreditar”, diz ele.

“Quando a baleia subiu, tive uma fração de segundo para entender que o leão-marinho estava no topo da baleia e para fotografar a sequência.”

O biólogo diz estar “mais de 100% seguro” que o leão saiu nadando são e salvo depois de escapar da boca da baleia.

Baleia engole leão marinho
O fotógrafo garante que o leão-marinho saiu nadando depois de ter ido parar na boca da baleia

As jubartes não têm dentes. Alimentam-se de crustáceos por um processo de filtração – usando uma série de placas de queratina na boca. O alimento é retido e a água é eliminada. O esôfago do mamífero é relativamente pequeno, incapaz de engolir um leão-marinho.

Uma baleia normalmente leva menos de cinco segundos para comer, disse Dekker. Mas, nesse caso, ela afundou lentamente por 15 segundos com a boca aberta, dando ao leão-marinho tempo suficiente para fugir.

“A baleia nunca fechou suas mandíbulas ao redor do leão-marinho, então este não se machucou. Ficou muito assustado, tenho certeza, mas não teve dano.”

De acordo com Dekker, predadores marinhos, como baleias, leões-marinhos, golfinhos e tubarões, costumam caçar o mesmo cardume de peixes. Por isso, pode acontecer de um animal maior parar, acidentalmente, na boca de uma baleia. Mas somente peixes pequenos, acredita o biólogo, tem razões para se preocupar.

Chase Dekker
Chase Dekker acredita que as suas fotos são únicas

Quando a BBC falou com Dekker, ele estava a caminho de Tonga, na Oceania, para levar um grupo de entusiastas para nadar com baleias-jubarte – mas ele garantiu que não há risco de qualquer pessoa acabar sendo engolida nesta viagem.

“Nós nadamos com as jubartes, mas, como é uma região de reprodução, não estão lá para se alimentar”, diz ele.

“Quase nunca abrem a boca enquanto estão lá.”

Mas é bom ficar de olho, diz o biólogo. “No ano passado, tivemos alguns encontros nos quais as baleias quase pularam em cima da gente”, contou. “O perigo é quando saltam para fora da água.”

Fonte: BBC


Créditos: Ambiente Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *