Estas cidades estão liderando o combate às mudanças climáticas

Paris, uma das cidades na liderança da luta contra as mudanças climáticas
Paris,França: uma das cidades do mundo que está na liderança da luta contra as mudanças climáticas (Ian.CuiYi/Getty Images)

As cidades, que abrigam mais da metade da população mundial, estão intensificando os esforços para reduzir a poluição, muitas vezes travando a batalha contra as mudanças climáticas longe dos governos nacionais. Essa é a conclusão do CDP, um grupo sem fins lucrativos que incentiva as instituições a detalharem suas emissões de gases de efeito estufa.

Muitas vezes capazes de agir mais rápido do que os governos nacionais, autoridades metropolitanas em Londres, Sydney e Boston fazem parte de um grupo de 14 cidades com os planos mais rigorosos para atingir a neutralidade climática ou de carbono até 2050.

As medidas são uma evidência de ambição por parte de autoridades locais de fazer sua parte no controle do aquecimento global, já que quase dois terços das emissões globais vêm das cidades. O CDP quer chamar a atenção para essas iniciativas e encorajar outras cidades a assumirem compromissos semelhantes.

“As cidades estão trabalhando muito, mas não conseguem chegar lá sozinhas”, disse Kyra Appleby, diretora global de cidades, estados e regiões do CDP. “As empresas precisam agir, os governos nacionais também precisam agir, e as pessoas precisam mudar seu próprio comportamento para que possamos limitar as emissões de carbono.”

Um grupo menor, formado por cinco cidades, que incluem Paris e São Francisco, estabeleceu metas de 100% de energia renovável. Reykjavik, com 123 mil habitantes, diz que já usa 100% de energia renovável.

Quase 7% das 625 cidades que participaram do relatório receberam a classificação mais alta, entrando para a lista “A” do CDP. Entre as cidades com maiores pontuações, apenas 28 estabeleceram metas de neutralidade de carbono (equilibrando as emissões de gases de efeito estufa), neutralidade climática (conceber políticas mais amplas para reduzir o impacto global da atividade humana no meio ambiente) ou reduzir as emissões pela metade ou mais.

Mais de 20 cidades dos EUA obtiveram a classificação mais alta, mostrando como prefeitos e legisladores de nível municipal podem liderar a iniciativa de combate à mudança climática, apesar de o presidente Donald Trump ter repetidamente minimizado os efeitos do aquecimento global.

As cidades formaram alianças para compartilhar conhecimento e pressionar por mudanças – como a iniciativa C40, que tem 94 cidades comprometidas com a implementação de metas climáticas ambiciosas. Protestos contra o aquecimento global tornaram-se mais frequentes com ativistas pedindo declarações de estado de emergência climática.

O CDP atribui classificação “A” a qualquer cidade que relate publicamente seus planos de ação e adaptação climática, bem como relatórios sobre estoques de emissões e metas de redução. As cidades com pior desempenho recebem um “D”, embora o CDP não divulgue o dado.

“As cidades são verdadeiros focos de inovação, negócios e vida humana na Terra, por isso é crucial que estejam agindo para que possamos atingir as metas”, disse Appleby.

Fonte: Jeremy Hodges e Dimitrios Pogkas, da Bloomberg


Créditos: Ambiente Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *