Chuva mata animais, destrói ruas e inunda praça em Farias Brito, no Ceará

Animais morrem durante enchente que atingiu cidade no interior do Ceará — Foto: Edson Freitas
Animais morrem durante enchente que atingiu cidade no interior do Ceará — Foto: Edson Freitas

Uma chuva de cerca de 178 milímetros destruiu ruas de diversos bairros do município de Farias Brito, na Região Cariri do Ceará, na manhã desta quinta-feira (6). A água invadiu casas, a praça da cidade e também deixou animais mortos, como dezenas de galinhas que estavam em uma propriedade. Conforme a Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme), a chuva registrada na cidade é a maior precipitação fora da quadra chuvosa do ano no estado.

A chuva começou ainda durante a madrugada e se estendeu por cerca de quatro horas. Com a intensidade, algumas barragens sangraram. Estradas que dão acesso a várias comunidades ficaram destruídas. A praça principal da cidade ficou coberta de lama.

De acordo com o secretário de Infraestrutura de Farias Brito, Cícero Edno de Oliveira, a prefeitura realiza a limpeza de canais para melhorar o escoamento da água da chuva. A prefeitura também iniciou a limpeza das ruas e avenidas que foram afetadas.

“A prefeitura já vem trabalhando a longo tempo porque essa situação é preocupante. Vemos como as pessoas daqui estão sofrendo com isso. Nosso relevo é muito propício a enchentes. Projeto de desapropriação do canal para melhorar o escoamento da água. Apoio as familias visitando as casas”, disse.

Praça Princpal de Farias Brito ficou coberta de lama. — Foto: Edson Freitas/TV Verdes Mares
Praça Princpal de Farias Brito ficou coberta de lama. — Foto: Edson Freitas/TV Verdes Mares

Maior do ano

A chuva de 178,0 milímetros registrada na cidade de Farias Brito, na Região do Cariri do Ceará, é a maior precipitação fora da quadra chuvosa do ano, segundo a Funceme. As outras grandes precipitações ocorreram na quadra chuvosa entre os meses de janeiro e abril de 2018.

Ainda segundo o órgão, a chuva das últimas 24 horas no município caririense é a terceira maior do ano. Fica atrás apenas das duas chuvas que caíram no município de Icapuí, Litoral Leste, que registrou no dia 13 de abril precipitações de 255,00 e 179,0 milímetros.

As ruas de Farias Brito ficaram sem o calçamento e com diversos poços de lama — Foto: Edson Freitas
As ruas de Farias Brito ficaram sem o calçamento e com diversos poços de lama — Foto: Edson Freitas

Chuvas no Ceará

Conforme a Funceme, choveu em pelo menos 99 dos 184 municípios cearenses. Também choveu com intensidade em Tauá (125,0 mm), Quiterianópolis (100,0 mm), Campos Sales (92,5 mm), Antonina Do Norte (88.6 mm), Arneiroz (74,5 mm), Catarina (73,0 mm), Novo Oriente (70,0 mm), Independência (70.0 mm), Santana do Acaraú (68,8 mm), Crato (62,0 mm), Crateús (58,0 mm), Altaneira (46,0 mm) e Barro (45,8 mm).

Na Região Central e Inhamuns houve chuva em todos os 23 municípios, sendo a maior em Arneiroz. Na Região da Ibiapaba aconteceram precipitações em todas as 14 cidades. O maior registro foi em Ipaporanga, com 30,0 mm. Essas regiões foram as que mais registraram índices de precipitações.

10 maiores chuvas por posto no dia:

(174 postos com chuva de 207 informados)

  1. Farias Brito (Posto: Farias Brito) : 178.0 mm
  2. Tauá (Posto: Vera Cruz) : 125.0 mm
  3. Quiterianópolis (Posto: Cruz) : 100.0 mm
  4. Campos Sales (Posto: Carmelopoles) : 92.5 mm
  5. Antonina Do Norte (Posto: Varzea Nova) : 88.6 mm
  6. Novo Oriente (Posto: Novo Oriente) : 75.0 mm
  7. Arneiroz (Posto: Arneiroz) : 74.5 mm
  8. Catarina (Posto: Figueiredo) : 73.0 mm
  9. Independência (Posto: Desejo) : 70.0 mm
  10. Novo Oriente (Posto: Emaus) : 70.0 mm
  11. Santana Do Acaraú (Posto: Santana Do Acarau) : 68.8 mm
Ruas de vários bairros de Farias Brito ficaram destruídas. — Foto: Edson Freitas/TV Verdes Mares
Ruas de vários bairros de Farias Brito ficaram destruídas. — Foto: Edson Freitas/TV Verdes Mares

Pré-Estação Chuvosa

Tais registros acontecem por influência de áreas de instabilidade sobre o Piauí e associadas à presença de uma Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), que é uma banda de nebulosidade e precipitação com orientação noroeste-sudeste, indo desde o sul e leste da Amazônia até o sudoeste do Oceano Atlântico Sul.

Além da continuidade da ZCAS, a Funceme identifica, por meio da análise de imagem de satélite e previsão de modelos numéricos, a presença de um Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN) sobre o oceano Atlântico e próximo à costa leste do Nordeste.

Assim com o Cavado de Altos Níveis (CAN) observado no último fim de semana, áreas de nebulosidade e, consequentemente, chuvas são proporcionadas na área da borda deste sistema. Ambos os sistemas são típicos da Pré-Estação, que vai até o fim de janeiro no Ceará.

Fonte: G1


Créditos: Ambiente Brasil