Centro Pan-Americano de Febre Aftosa realiza curso no Rio para resposta a emergências

O Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA) realizou no fim de setembro (24 a 28) no Rio de Janeiro (RJ) um seminário de capacitação para uma resposta rápida e eficaz diante de uma eventual emergência de febre aftosa.

A iniciativa faz parte do projeto de cooperação técnica do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e do Comitê Veterinário Permanente do Cone Sul (CVP).

Um dos objetivos do seminário foi capacitar os técnicos para a preparação a eventuais emergências de febre aftosa. Foto: OPAS
Um dos objetivos do seminário foi capacitar os técnicos para a preparação a eventuais emergências de febre aftosa. Foto: OPAS

O Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA) realizou no fim de setembro (24 a 28) no Rio de Janeiro (RJ) um seminário de capacitação para uma resposta rápida e eficaz diante de uma eventual emergência de febre aftosa.

A iniciativa faz parte do projeto de cooperação técnica do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e do Comitê Veterinário Permanente do Cone Sul (CVP), denominado “Programa de apoio para a capacitação dos serviços veterinários dos países do Cone Sul”, cujo objetivo é enfrentar a última etapa do Plano Hemisférico para a Erradicação da Febre Aftosa (PHEFA).

O seminário teve a participação de dois técnicos dos serviços veterinários de cada um dos países beneficiários — Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai —, do coordenador técnico do projeto, José Hugo Fernández de Liger, e de dois profissionais da PANAFTOSA-OPS/OMS, Dres Alejandro Rivera e Rodrigo García, como capacitadores.

A atividade marca o início do Módulo 2 do Componente IV do Programa BID-CVP, dedicado à capacitação para a consolidação dos sistemas de contenção e atenção de emergências sanitárias.

Nesse sentido, o componente é iniciado com um curso no PANAFTOSA-OPS/OMS, seguido de seminários nacionais em cada um dos países-membros do CVP sobre Contenção e Atenção de Emergências Sanitárias, os quais serão complementados com outros seis seminários de conscientização e articulação com autoridades de governo e atores locais interessados em eventuais ações de controle frente a uma incursão viral.

O componente é encerrado com a execução de duas simulações conjuntas, previstas para 2019, onde estratégias, organização e procedimentos serão testados para o controle de uma eventual emergência sanitária.

O seminário teve como objetivo capacitar os técnicos para a preparação para emergências de febre aftosa em zonas livres; conhecer o enfoque dos organismos internacionais frente a emergências sanitárias; apresentar o modelo de preparação para emergências do PANAFTOSA; apresentar o Sistema de Emergências para Febre Aftosa dos países do Cone Sul; revisar os recursos disponíveis para preparação de emergências; e preparar um guia de trabalho para a revisão dos planos de contingência e preparação de emergências dos países do Cone Sul.

Como produto final das atividades previstas neste componente, o Projeto BID-CVP espera que os agentes dos serviços veterinários adquiram habilidades para a contenção e atenção de emergências sanitárias, aprofundando o conhecimento da epidemiologia da doença e dos procedimentos para a intervenção sanitária diante de um foco da doença.

A expectativa também é conscientizar e capacitar integrantes de outras instituições de governo dos níveis nacional, estadual e municipal e/ou vinculadas ao controle de trânsito veicular, fronteiras e barreiras sanitárias, além de associações de produtores e veterinários privados, em relação à importância da febre aftosa e do papel desses atores diante de uma emergência.

Fonte: ONU


Créditos: Ambiente Brasil