Canadenses fazem vaquinha e compram floresta para preservação

Princess Louisa Inlet, no Canadá (Foto: Klaus Johansson/Wikimedia Commons)

No Canadá, uma vaquinha para comprar uma floresta que seria vendida foi bem sucedida. Organizado pela B.C. Parks Foundation, o financiamento coletivo levantou C$ 3 milhões (cerca de R$ 9,2 milhões) para adquirir os 800 hectares da região do Princess Louisa Inlet, uma enseada com 6 quilômetros de extensão na Colúmbia Britânica, a cerca de 100 quilômetros de Vancouver.

A B.C. Parks Foundation é uma organização independente que trabalha com a B.C. Parks, órgão oficial de preservação dos parques da província, para proteger o patrimônio natural da região. Quando soube que o território seria vendido para a iniciativa privada, a organização negociou a venda e lançou a campanha.

“Foi algo incrível o que as pessoas fizeram”, disse o CEO da fundação, Andrew Day, em entrevista ao site CBC do Canadá. “Muitos deram C$ 10 [pouco mais de R$ 30] ou C$ 15 [aproximadamente R$ 46] e disseram ‘isso é tudo o que eu posso fazer, mas o que vocês estão fazendo é maravilhoso’”, completou.

Em geral, quando florestas são colocadas à venda, não é incomum que organizações sem fins lucrativos se posicionem para comprar. Vaquinhas e financiamento coletivo, no entanto, ainda são ideias novas — embora no passado já tenham ocorrido casos de populações ajudarem a levantar fundos, como na criação do Parque Nacional das Grandes Montanhas Fumegantes, nos Estados Unidos, entre os estados do Tennessee e da Carolina do Norte.

A ideia da fundação agora é trabalhar com o governo e com tribos indígenas para conectar a região a outros parques e áreas de conservação. O objetivo não será transformar o local em parque aberto para visitação ou turismo, mas sim garantir um habitat para animais como ursos e cabras.

Fonte: Revista Galileu


Créditos: Ambiente Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *