As vantagens do uso de tanques de fibra de vidro nas indústrias de alimentos

A indústria de alimentos enfrenta vários desafios para fazer a correta armazenagem das matérias-primas e da estocagem dos produtos manufaturados, a fim de evitar contaminação e deterioração.

Como matéria-prima essencial nos processos de fabricação de alimentos, a água é a que tem as regras de armazenamentos mais rigorosas. A Portaria 2.914, do Ministério da Saúde, que dispõe sobre o controle e a vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade, estabelecendo a inocuidade dos materiais utilizados na fabricação de tanques de armazenamento de água, uma vez que tais materiais ficarão em contato com a água potável utilizada.

As indústrias utilizam tanques de diversos materiais, sendo o mais comum o aço inox. Porém, há alguns anos constatou-se que outro material tem conquistado a preferência do mercado: o tanque de PRFV (Plástico Reforçado com Fibra de Vidro).

Segundo Jackson de Biaso, gestor comercial da Fibrav, empresa especializada em soluções em fibra de vidro, o tanque de PRFV, além de ter menor custo em relação aos de aço inox, é atóxico e inócuo, tornando-se uma excelente opção para atender a Portaria 2.914.

“O custo dos tanques de plástico reforçado com fibra de vidro é cerca de 35% menor que dos tanques de aço inox, contando com as mesmas características técnicas e dimensões. Isso sem contar de outra vantagem sobre os de aço inox: os tanques de PRFV são monolíticos, moldados em uma só peça, não existindo pontos de solda, áreas propensas a vazamentos”, afirma o executivo.

Um outro material que também pode ser utilizado para tanques industriais é o aço vitrificado (feito com painéis parafusados). Porém, sua homologação é mais complicada, se comparada a homologação do tanque de PRFV, uma vez que o tanque de aço vitrificado precisa atestar a inocuidade de todos os componentes que compõe o reservatório, enquanto o tanque de PRFV só precisa homologar a superfície interna.  c

De acordo com o gestor da Fibrav o PRFV aos poucos foi sendo assimilado pela indústria brasileira como uma opção segura para o armazenamento de água, seguindo o exemplo de outros países do mundo, que há algum tempo já consagraram esse tipo de tanque.

Outras características do tanque de PRFV devem ser destacadas, tais como: a resistência a ação mecânica ou corrosiva, ele pode ser utilizado tanto para simples armazenagens quanto para reatores, agitadores, vasos de pressão e outros. Para o supervisor de produção da Fibrav, Eliezer Fernandes, existe também a questão da segurança, uma vez que ele promove uma armazenagem segura, especialmente quando se trata de produtos químicos corrosivos, evitando contaminação do meio ambiente.

Além de todas as características a seu favor, o tanque de PRFV destaca-se por sua fácil manutenção, com paredes internas de superfície lisa e regular, dificulta o acúmulo de resíduos, o que facilita a sua limpeza.

Biaso destaca ainda que é importante buscar empresas no mercado com tradição e que possuam atestados de capacidade técnica e, no caso da água potável, certificado de potabilidade.

“Os tanques em fibra de vidro são os mais econômicos dentre as opções disponíveis no mercado de tanques industriais. São leves, por isso tornam o custo de transporte bem menores, e ainda possuem extrema resistência à corrosão, além da resistência mecânica, o que os tornam muito mais duradouros do que os demais”, afirma Fernandes.

O gestor comercial também ressalta sobre o consumo de PRFV no Brasil em relação a outras economias: “O consumo per capita de compósitos no Brasil não chega a 2 quilos, bem atrás dos números dos EUA (8 quilos), Europa (5 quilos) e Ásia (4 quilos), logo, entendemos que nosso Brasil está atrasado, no conhecimento e vantagens do PRFV, conclui Biaso.

Fonte: Assessoria de Imprensa Fibrav


Créditos: Ambiente Brasil