As orcas comem tubarões-brancos? Quem é afinal o rei dos oceanos?

Getty Images

Quando em outubro de 1997, um grupo de turistas num barco de observação de baleias nas Ilhas Farallon, perto de São Francisco, EUA, testemunhou duas orcas a atacar um tubarão-branco e a comer o seu fígado, os biólogos quase não acreditaram. Não era possível que o grande predador dos oceanos fosse ameaçado por orcas, também conhecidas como baleias assassinas.

A verdade é que o incidente abriu uma nova linha de pensamento para os cientistas e até hoje, a tese de que os tubarões-brancos podem ser presas das orcas tem ganho cada vez mais força.

Em 2017, os cadáveres de cinco tubarões brancos foram encontrados junto à costa da província do Cabo Ocidental, na África do Sul. Através de uma breve análise aos mesmos, a caracterização das marcas dos ataques permitiu destacar como principais suspeitas as baleias assassinas. E se este fosse um caso de justiça, não estaríamos muito longe da acusação formal.

E não foram duas orcas quaisquer. Port e Starboard estão há uns anos sob observação de uma equipa de investigação marinha da Cidade do Cabo, na África do Sul. Estes dois animais despertaram interesse dos biólogos por atacarem frequentemente uma outra espécie de tubarões daquela zona. Os cadáveres dos tubarões-brancos encontrados em 2017 foram associados a estas duas orcas, e à medida que a autópsia avançava a suspeita era cada vez mais uma realidade.

Mas para serem bem sucedidas e atingirem especificamente o fígado do tubarão-branco (que é o orgão que lhes interessa extrair para consumo), as orcas atacam aos pares. “É fascinante porque as duas baleias parecem ter desenvolvido [o ataque em conjunto] até à perfeição, sendo quase uma extração científica do fígado” explica Alisa Schulman-Janiger, bióloga e investigadora no Museu de História Natural, em Los Angeles, citada pelo artigo do National Geographic.

Porquê o fígado? Pela mesma razão que leva as pessoas a comer manteiga, bacon e outros alimentos gordurosos: os níveis altos de gordura sabem-lhes bem. O mesmo artigo do National Geographic explica também que um fígado de um tubarão-branco não deixa nenhum animal com fome, dado que estamos a falar de 200 quilos de carne.

Ainda que os cientistas nunca tenham presenciado um ataque de orcas a tubarões-brancos (tirando o episódio de 1997, que foi parcialmente gravado num vídeo amador), estão cada vez mais inclinados a acreditar que esta é uma nova relação na cadeia alimentar.

Fonte: Visão


Créditos: Ambiente Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *