Arqueólogos encontram vestígios de peixe carnívoro pré-histórico

FÓSSIL DE PEIXE PARECIDO COM A PIRANHA QUE VIVEU HÁ 150 MILHÕES DE ANOS. (FOTO: M. EBERT AND T. NOHL)

Pesquisadores descobriram uma nova espécie de peixe com afiados dentes que vivia comendo a carne dos gigantes pré-históricos que cruzavam seu caminho há 150 milhões de anos, sendo o peixe carnívoro mais antigo já encontrado.

O fóssil, encontrado em depósitos de calcário no sul da Alemanha, possui um osso formando o céu da boca e na frente das mandíbulas superior e inferior. Além disso, existem dentes triangulares com bordas cortantes serrilhadas nos ossos, principalmente na mandíbula inferior.

Curiosamente, próximo ao local da descoberta, os pesquisadores notaram que diversos outros animais marinhos fossilizados tinham perdido partes de seu corpo, indicando que foram atacados.

“Este é um paralelo incrível com as piranhas modernas, que se alimentam predominantemente não de carne, mas de nadadeiras. É um movimento notavelmente inteligente, pois as barbatanas se regeneram, um recurso renovável. Alimente-se de um peixe e ele está morto; morda suas barbatanas e você tem comida para o futuro”, disse o pesquisador David Bellwood, da James Cook University, na Austrália.

Ilustração de como deve ter sido o peixe pré-histórico. (Foto: The Jura-Museum)
ILUSTRAÇÃO DE COMO DEVE TER SIDO O PEIXE PRÉ-HISTÓRICO. (FOTO: THE JURA-MUSEUM)

O paralelo com as piranhas, que vivem na água doce dos rios sul-americanos, está na aparência e comportamento, mas não guardam relação genética. “Ficamos impressionados que este peixe tivesse dentes semelhantes a piranhas”, contou Martina Kölbl-Ebert do Jura-Museum, em Eichstätt, Alemanha.

A espécie tem ligação com um grupo de peixes, os picnodontídeos, que são famosos por seus dentes chatos. É como encontrar uma ovelha com um rosnado como um lobo”, afirmou a pesquisadora. “Tubarões eram capazes de morder pedaços de carne, mas ao longo da história, os peixes ósseos se alimentaram de invertebrados ou engoliram suas presas inteiras. Barbatanas foi algo que veio muito depois.”

“Quando os dinossauros caminhavam pela Terra e pequenos dinossauros tentavam voar com os pterossauros, os peixes nadavam em torno dos pés, arrancando as barbatanas ou a carne um do outro”, concluiu Bellwood.

Fonte: Revista Galileu


Créditos: Ambiente Brasil