A fruta que é cultivada há 5 mil anos e virou tesouro nacional em 3 países

Uma manga inteira e outra cortada ao meio sobre mesa azul
Elas vão muito além do que se vê nos supermercados…

As curiosidades sobre a manga são tão deliciosas como a própria fruta:

1. As mangas são tão diversas quanto as maçãs ou bananas

Mesa com toalha branca repleta de cestas contendo diferentes tipos de mangas, observadas por duas senhoras
Nunca há um momento de tédio no Festival da Manga em Nova Déli, na Índia: são mais de 500 variedades de mangas para provar

Existem centenas de variedades da manga, a nível regional ou de categoria.

Algumas são mais cremosas, outras doces, cítricas e até picantes. Há ainda aquelas que parecem abacaxis ou outras mais sem graças – bom, um pouco como algumas que encontramos nos supermercados.

Vale a pena procurar as variedades mais doces. Se puder, experimente a do tipo Afonso – considerada uma iguaria.

2. Ela é considerada a fruta nacional em três países

Uma árvore de manga com frutas maduras com o sol ao fundo
Você tem a sorte de ter alguma dessas perto de casa?

A manga é considerada a fruta nacional do Paquistão, da Índia e das Filipinas.

É também a árvore nacional de Bangladesh.

3. O nome ‘manga’ ou ‘mango’, em inglês, tem origem na Índia

Casa colonial amarela perto de uma carrocinha vendendo mangas
No século 16, Panjim, capital da província de Goa, estava sob domínio português; não demorou para que os europeus desenvolvessem o gosto pela manga

Em português, “manga”, ou inglês, “mango”. A origem dessas palavras provavelmente remonta ao tâmil, com o termo “mankay”, ou ao kerala, com “mangga”.

Quando os comerciantes portugueses se estabeleceram no sul da Índia, adotaram o nome “manga”.

Com os negócios empreendidos pelos britânicos ali entre os séculos 15 e 16, nasceu o derivado “mango”.

4. Cerca de 46 milhões de toneladas de manga para o mundo

Braço pega uma manga no supermercado
A manga gera um mercado global

As mangas do tipo Tommy Atkins crescem rapidamente, têm tamanho e cor palatáveis para o consumidor, são resistentes a muitos tipos de fungos e bastante duráveis nas prateleiras.

Estas características acabaram favorecendo a sua exportação para todo o mundo.

Mas, ao mesmo tempo, essa variedade é fibrosa e relativamente insípida.

5. As mangas consumidas no mercado global vêm de todos cantos do mundo

Menina segurando uma muda de manga
As mangas crescem bem em diversas partes do mundo

Os supermercados obtêm mangas de todo o mundo: no início do ano, do Peru; depois do oeste da África, seguido por Israel e Egito no terceiro trimestre; e depois, do Brasil.

6. A Índia é o maior produtor mundial de mangas

Duas mulheres indianas na feira
Confie nos especialistas em mangas!

A Índia cultiva mais de 18 milhões de toneladas da fruta – quase 40% da produção anual mundial de manga -, mas representa menos de 1% do comércio internacional de manga, já que consome a maior parte de sua própria produção.

A China e a Tailândia vêm em seguida como maiores produtores.

7. As mangas foram cultivadas pela primeira vez na Índia há mais de 5 mil anos

Mangas penduradas em um galho de árvore
Você já comeu uma manga madura diretamente da árvore?

Acredita-se que a manga selvagem tenha surgido pela primeira vez no sopé dos Himalaias.

Os primeiros cultivos de que se tem notícia tiveram lugar há 5 mil anos no sul da Índia, em Mianmar e nas Ilhas Andaman.

8. As mangas viajaram pelo mundo

Uma mangueira no Rio de Janeiro
Sim, ela também é nossa! Uma mangueira no Rio de Janeiro

As mangueiras cresceram primeiro na Ásia, mas hoje estão presentes em todo o mundo.

Há relatos de cultivo de manga na África do século 10; no século 14, o grande viajante e estudioso do norte da África Ibn Battuta escreveu sobre as mangueiras que viu crescendo em Mogadíscio.

Já no século 15, o comércio de especiarias levou muitas nações europeias a estabelecer colônias no Sudeste Asiático.

Os portugueses e espanhóis logo se apaixonaram pela manga, e no século 17 a fruta encontrou seu caminho para as colônias na América.

Atualmente, as mangas são comuns em todo o Caribe, no Brasil e até nos cantos mais quentes das nações andinas como o Peru.

A Espanha é o único país europeu que cultiva mangas – na região de Málaga, aquela mais distante dos ventos frios.

9. O pé de manga mais antigo tem mais de 100 anos de idade

Acredita-se que o pé de manga mais velho do mundo tenha 300 anos e viva em East Khandesh, na região central da Índia.

E ela ainda produz frutos!

10. As mangas têm parentesco com castanhas e pistaches

Prato de doces feitos com manga e pistache
Mangas e pistaches são parentes

A manga é uma drupa: um tipo de fruta carnudo, com uma pele fina e uma única semente contida pelo chamado endocarpo.

Azeitonas, tâmaras e cerejas são drupas também – e é deste tipo de fruto que vêm as castanhas e os pistaches, fazendo-os primos distantes da manga.

11. A manga é uma árvore sagrada para os budistas

Mangas envoltas em uma oferenda
Mangas envoltas em uma oferenda

Diz-se que Buda meditou e descansou com outros monges em meio a exuberantes bosques de mangueiras.

Assim, a árvore é considerada sagrada para os budistas.

12. Mangas são uma opção saudável

Tigela de madeira com metade de uma manga picada e uma manga inteira
Uma fruta, muitas vitaminas

Uma xícara de manga contém cerca de 60 mg de vitamina C – no Reino Unido, o serviço de saúde britânico (NHS) recomenda que adultos consumam 40mg dessa vitamina por dia, enquanto nos Estados Unidos a dose recomendada é de 60mg.

As mangas também contêm mais de 20 vitaminas e minerais diferentes: são ricos em vitamina A, potássio, folato (uma vitamina B) e fornecem uma porção substancial de fibras.

13. E o prêmio para a manga mais pesada do mundo vai para…

Escultura gigante de uma manga com mulher posando ao lado
Fãs de manga – esta fruta não é de verdade!

Segundo o Guinness World Records, a manga mais pesada de que se tem registro pesava 3,435 kg e media 30,48 cm de comprimento, 49,53 cm de circunferência e 17,78 cm de largura.

O fruto foi colhido de uma árvore no jardim de Sergio e Maria Socorro Bodiongan, nas Filipinas, em 2009.

Fonte: BBC


Créditos: Ambiente Brasil