10 formações naturais estranhamente encantadoras

Cada canto do nosso planeta está repleto de formações naturais inacreditáveis. Algumas são bem conhecidas, mas muitas são elusivas ou ocorrem em lugares distantes e isolados dos olhos humanos.

Confira alguns destes belos e estranhos fenômenos:

10. Lago de bolinhas

No Canadá, há um lago que parece ter sido criado pela imaginação de uma criança, ou saído diretamente de “Alice no País das Maravilhas” de Lewis Carroll.

Chamado de Spotted Lake, este lago de Osoyoos não é um corpo de água comum. Em vez de uma superfície lisa, parece estar coberto de bolinhas, cujas cores mudam dependendo das condições da água, variando do amarelo até o azul escuro.

O lago é composto de uma coleção de corpos de água menores, semelhantes a poças, que são ricas em sulfato de magnésio, cálcio, sal e outros minerais. Na verdade, diz-se que contém as maiores concentrações minerais do mundo, tanto que diversos deles foram extraídos e transformados em munição durante a Primeira Guerra Mundial.

Para o povo indígena da região de Okanagan, o lago abriga propriedades medicinais especiais. Ele é agora cercado e protegido como um local sagrado. Ainda assim, é fácil ver suas enormes piscinas à distância.

9. Nuvens de Kelvin-Helmholtz

Flutuando em grandes altitudes, as nuvens de Kelvin-Helmholtz são divertidas de se olhar. Formadas quando duas correntes de ar em diferentes velocidades colidem uma com a outra, elas se assemelham a ondulação do mar.

As nuvens têm uma base horizontal e plana, e as ondas no topo são uniformemente espaçadas. Elas são mais facilmente formadas em dias de bastante vento, quando as camadas de ar são capazes de se toparem. Como o ar quente se acumula em cima do ar mais frio, a camada mais rápida no topo dá à nuvem esse formato caprichoso.

Essa formação natural é bela, mas elusiva. Devido à velocidade e ao calor do ar, a nuvem logo evapora, deixando para trás nada além de uma lembrança.

8. Murmuração

Essa visão de tirar o fôlego reúne milhões de pequenas criaturas em uma manobra aérea incrível, conhecida como murmuração. E que criaturas são essas?

Estorninhos, aves canoras comuns que se alimentam de sementes e insetos. Enquanto sua plumagem negra tem uma iridescência brilhante de perto, elas são frequentemente consideradas pragas por causa dos danos que causam às colheitas e aviões.

Estes pequenos pássaros provam que a força está nos números. Uma murmuração com mais de seis milhões de estorninhos já foi registrada em Somerset, no Reino Unido, em 1999. Tais formações hipnóticas fornecem segurança para as aves, pois os predadores têm muito mais dificuldade em escolher um único alvo entre tantos.

Bandos maiores também significam poleiros mais quentes nos meses mais frios. Além disso, as aves são mais capazes de socializar e compartilhar informações sobre onde encontrar comida.

Caso você esteja se perguntando, os estorninhos sabem como voar para não colidir uns com os outros. Com um tempo de reação de 100 milissegundos, estão atentos à velocidade e direção dos pássaros ao redor deles. Eles se ajustam de maneira que toda a murmuração possa atingir até 32 quilômetros por hora.

7. Icebergs listrados e coloridos

A Antártida é bem conhecida por sua paisagem esbranquiçada de icebergs e geleiras. No entanto, algumas dessas formações são mais incomuns: parecem estar cobertas por uma variedade de listras pretas, marrons, amarelas e azuis.

Esses icebergs decorados são formados quando pedaços de gelo de água doce entram em contato com o gelo da água do mar abaixo deles. A água do mar, que contém sedimentos e minerais, congela e desenvolve faixas em torno dela. Como o iceberg é moldado pelas ondas e pelo vento, as camadas coloridas são distorcidas em diferentes padrões.

Listras azuis são causadas por um congelamento tão rápido que nenhuma bolha se forma. O tom verde vem de água com algas.

6. Teias de aranha massivas

Estranho, mas belo: por vezes, aranhas criam teias gigantescas que se estendem até incríveis 30 metros. Essa cobertura massiva é geralmente criada depois de uma enchente ou chuva forte, o que leva as aranhas a fugir para lugares mais altos.

Normalmente, elas liberam um fio fino de seda e deixam que o vento as carregue como balões, um processo conhecido como balonismo. O balonismo em massa envolve milhares de minúsculos aracnídeos pousando habilmente em campos, tornando-os esbranquiçados.

O evento já ocorreu em todo o mundo, incluindo EUA, Austrália, Grã-Bretanha e Paquistão.

5. Arco-íris de fogo

O arco-íris de fogo é um show de luz que se assemelha a asas coloridas abertas. Ao contrário do arco-íris comum, é muito mais raro. Algumas condições precisam ser atendidas para que se forme: o sol precisa estar muito alto no céu, onde nuvens cirros se formam, e cristais de gelo dentro dessas nuvens precisam estar posicionados na direção e na forma corretas.

Se os cristais estiverem alinhados corretamente, a luz do sol refletirá do mesmo modo que em um prisma, produzindo um espetáculo de tirar o fôlego.

4. Rosa do deserto

Rosas das areias ou rosas do deserto são formações encontradas em áreas secas e arenosas como o deserto do Saara. Feitas de discos de gesso ou cristais de barita, depois de dezenas ou centenas de anos acabam se assemelhando às pétalas de uma flor.

Essas rosas do deserto podem ser encontradas em aglomerados, dando a aparência de um buquê. A maior rosa já descoberta tinha 25 centímetros e pesava 57 quilos, enquanto o maior buquê chegou a 454 quilos.

Com sua beleza e aparência antinatural, não é de admirar que tais formações sejam espécimes valorizados para coleções.

3. Lagos de Monte Kelimutu

Existem três lagos de crateras aninhados no sopé do Monte Kelimutu, na Indonésia, considerados pelos nativos locais de descanso misteriosos para a vida após a morte.

Com a sua aparência antinatural, os lagos parecem mesmo de outro mundo. Juntamente com seu estranho poder de mudar de cor a qualquer momento, acredita-se que eles reflitam o humor dos espíritos dos ancestrais.

O Lago dos Antigos é tipicamente azul. O Lago dos Rapazes e das Donzelas é geralmente verde, enquanto o terceiro, o Lago Encantado, tende a ser vermelho. Ocasionalmente, eles assumem tons de branco, preto, marrom e turquesa.

Enquanto outros lagos estranhamente coloridos são causados por bactérias, a tonalidade desses corpos de água ainda é um mistério. Embora não haja resposta definitiva, a maioria dos cientistas concorda que a interação entre minerais na água e cinzas vulcânicas é a responsável pelo fenômeno.

2. Cachoeira de sangue

Conhecido como “cachoeira de sangue”, um corpo d’água localizado nos vales secos de McMurdo, na Antártida, jorra uma água tingida de um vermelho escarlate.

Felizmente, a razão por trás desse fenômeno não é macabra. Dois milhões de anos atrás, a Geleira Taylor aprisionou micróbios dentro dela, formando essencialmente uma comunidade de organismos isolados do resto do mundo. Mesmo sem luz solar, calor ou oxigênio, os micróbios floresceram, provando a capacidade da vida de sobreviver mesmo nas condições mais extremas.

Eventualmente, o lago preso fluiu através de uma rachadura no gelo, formando uma cachoeira. As quedas se tornaram vermelhas devido aos altos níveis de ferro e salinidade desse ecossistema, o que explica por que a água continua a correr sem congelar.

1. Flor-esqueleto

Apesar do nome sombrio, as flores-esqueleto são uma visão fascinante. Suas pétalas normalmente brancas tornam-se tão claras quanto o vidro quando entram em contato com a água.

Durante a chuva, essas flores de aspecto normal de repente assumem uma aparência cristalina. Isso se deve às estruturas celulares das suas pétalas. Nos dias de muita precipitação, as pétalas ficam encharcadas e aumentam a transmissão de luz para lhes dar um aspecto transparente. Depois de secas, as pétalas voltam para sua cor branca.

À medida que florescem em encostas frias e cobertas de florestas, essas flores raras são encontradas em apenas três lugares da Terra: na China, no Japão e nas Montanhas Apalaches.

Graças a suas peculiaridades, cientistas chineses estudaram suas propriedades e criaram uma superfície transparente que repele o óleo enquanto submerso, usada para desenvolver óculos de mergulho e outras ferramentas óticas.

Fonte: Hypescience


Créditos: Ambiente Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *